Mito? Espelho, telefone e micro-ondas interferem no sinal do roteador?

<!-- AddThis Sharing Buttons above -->Robson Silva Vaamonde, professor de Tecnologia da Informação do Senac, em entrevista ao UOL, explicou alguns mitos e verdades sobre os roteadores.

Existem muitas histórias circulando na internet sobre roteadores. Algumas não possuem qualquer fundamento científico, mas outras, por mais esquisitas que pareçam, são reais. Por exemplo, você sabia que durante uma tempestade o roteador pode queimar mesmo que não esteja ligado na tomada? Ou que espelhos interferem na qualidade do Wi-Fi?

Ao UOL, Robson Silva Vaamonde, professor de Tecnologia da Informação do Senac, explicou alguns mitos e verdades sobre os roteadores. 

Para começar, o que é melhor: 2.4 Ghz (ou Wi-Fi B/G/N) e 5.0 Ghz (ou Wi-Fi AC)?

“2.4 Ghz tem uma taxa de transferência de dados mais baixa, mas compensa com maior alcance. 5.0 Ghz tem maior taxa de transferência, mas perde no alcance”, explicou ele. Ou seja, a melhor frequência para você pode não servir para o seu amigo. Tudo depende do tamanho do imóvel, das paredes e de todos os vetores de interferência.

UOL – O roteador pode queimar mesmo que não esteja ligado na tomada?

Robson Vaamonde – Sim, cabos telefônicos ou de TV por assinatura são feitos de material condutor de eletricidade. Entre dezembro e março, temos um aumento na incidência de raios que caem nas linhas de transmissão ou postes e isso pode queimar equipamentos ligados a esses cabos. Esse problema não acontece com fibra ótica.

UOL – Qual o maior vilão da qualidade do Wi-Fi?

RV – Os telefones sem fio, pois eles operam na mesma faixa de frequência das redes wireless 2.4Ghz. Além disso, os dois equipamentos [roteador e telefone] costumam ficar próximos. Outro eletrodoméstico que trabalha na mesma frequência é o micro-ondas.

UOL – Espelhos são bons para Wi-Fi?

RV – Não, espelhos criam uma barreira chamada de reflexão. Eles não permitem que as ondas de frequência usadas pelos roteadores se propaguem, prejudicando a qualidade da taxa de transferência e o alcance da rede.

UOL – Então, onde colocar o roteador?

RV – É preciso analisar o ambiente antes de colocar o equipamento. Normalmente, a localização indicada em uma residência seria no centro da casa (no meio), para que as ondas se propagariam melhor.

UOL – Vale fazer uma gambiarra com lata de alumínio?

RV – Não, utilizar antenas homologadas pelos fabricantes para melhorar o acesso a redes sem fio é sempre a melhor opção.

UOL – É necessário reiniciar o roteador de vez em quando?

RV – Todo equipamento eletroeletrônico sofre com variações elétricas. Os roteadores armazenam todas as informações de forma volátil (tudo fica em memória RAM). Alguns equipamentos não conseguem gerenciar todo o acesso ou sofrem com aquecimentos. Sim, muitos precisam ser desligados ou reinicializados.

UOL – É necessário atualizar o software do roteador?

RV – Sim, todo o roteador utiliza um sistema operacional. Falhas de segurança aparecem e melhorias são criadas constantemente. Por isso, sempre precisamos acessar o site do fabricante para verificar se existem atualizações de software.

UOL – Com que periodicidade é preciso trocar o roteador?

RV – Não existe uma periodicidade. Os roteadores são padronizados pelo IEEE (Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos), e as normas de rede wireless levam mais tempo para serem homologadas. Então, a substituição vai depender das tecnologias criadas pelos fabricantes.

 

Fonte: https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2017/04/25/roteador-pode-queimar-em-dia-de-tempestade-mesmo-fora-da-tomada.htm

pt.pdf24.org    Enviar artigo em PDF